A Igreja não precisa de estudos.

professor

Uma das características da Igreja primitiva era a vivencia no plano espiritual do qual os Apóstolos desfrutavam, era um período em que quando se falava de Igreja, ou melhor, o Caminho a coisa não era como vemos hoje em que as pessoas se gabam de sua denominação que é a maior, a que melhor expulsa demônios, que tem retetete, que faz isso e que faz aquilo, mas na época em viviam os apóstolos João, Pedro, Paulo e outros, as coisas eram preocupantes se alguém soubesse que você era do Caminho já vinham os guardas e já prendiam e se possível fosse já o executavam. Isso permaneceu durante vários séculos até que Roma torna-se cristã e passa a ser a religião oficial do império.
Pois bem, nestas épocas de muito trabalho e pouca conversa fiada, não tinham estudos prontos nem a bíblia como a conhecemos era apenas o antigo testamento e começava a ter algumas cartas de formação de doutrina e regras básicas sobre o Reino, apesar de estar tudo em forma alegórica no antigo testamento, era necessário que fosse pregado a palavra de Deus, já que a “intenção de Jesus não foi fundar uma nova religião” (Kung, Hans), mas acertar e por em conformidade o que já havia sido perdido quando ensinado aos judeus, mas que em consequência a sua rigidez e religiosidade não foi possível fazer o acerto de modo satisfatório tendo que expandir os horizontes da base do ensino à povos que nunca ouviram falar do Senhor, já que a vontade de Deus era que o povo hebreu como mestres do Reino e proclamadores da sua vontade, estes não aceitaram essa comissão e em tempos ainda deturparam a essência do Reino que é a reconciliação do homem com Deus através de demonstração de amor do Senhor, através da redenção que Ele tinha proporcionado ao povo que elegeu para isso.
Agora o Senhor enviou o redentor para que diretamente de uma fonte segura e perfeita, fosse proclamado o Reino de Amor do Senhor e assim fossem alcançados todos os povos da terra, para que em sua redenção obtivessem esse perdão e ter o “livre acesso ao santo trono de graça e misericórdia” Hebreus 4:16. Mas com o passar dos anos as coisas tendem a ter sua essência deturpada e modificada segundo o desejo do coração do homem, “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável.” Jeremias 17:9. Assim segundo suas conclusões fizeram seus estudos e com sua sabedoria escreveram artigos e criaram suas teses e fizeram suas teologias sistematizadas para chegaram até onde a mente humana pode chegar, ou melhor, até onde nossos olhos alcançam, assim engessaram a palavra e o poder de Deus criando mitos folclóricos que mais traziam medo e terror ao homem do que a demonstração do amor da redenção do Senhor, de forma parecida repetiram a história dos hebreus e criaram leis e estatutos para dominar o homem e agora com um agravante deixaram de lado o Espirito Santo que antes dado somente à alguns agora dado a todos quanto o quiserem, repetiram a atitude de prescrever bulas e receitas para se achegarem a Deus colocaram uma praça de pedágio no meio do mundo (Roma) onde diziam eles aqui está a ponte para o céu e para passar tem que trazer uma paga, mas é para uma boa causa é para a manutenção do reino e de sua escada que através do sumo pontífice você pode ter suas orações entregues à Deus.
Repetiu-se a história o homem novamente conseguiu deturpar e encher a graça de pedágios e receitas para obtê-la, assim alguns mártires lutou bravamente para que a palavra de Deus fosse novamente desmitificada e dar acesso novamente ao homem, uns infelizmente tombaram e pagaram com seu sangue esse amor ao Senhor, mas chegou o dia em que Lutero tocado pelo Espirito de Graça teve sucesso em sua empreitada e trouxe a palavra de Deus ao homem novamente.
Agora passados apenas 500 anos da reforma vemos homens novamente impondo suas teologias sistêmicas a serviço do engessamento do divino procurando assim dominar e escravizar ao seu próximo e novamente arrancar dinheiro e poder da massa que como um gado marcado segue a procissão destes “santos” que em nome de Deus buscam encher suas barrigas e dominar, essa ânsia de poder, fama e fortuna é dada ao homem através de espíritos que atuam em sua própria concupiscência assim atormentados por sua própria avareza e desejo de ser maior e melhor do que o outro o homem novamente cai e tenta engessar a busca e o acesso a Deus.
Vemos também que não chegou há passar muito tempo depois da reforma promovida por Lutero e alguns já escreveram suas bulas e suas teologias, passados mais alguns anos e fizeram novamente mais um que seria uma cartilha do que pode e que não pode, esquecendo que o bem maior do homem não está em conclusões humanas, mas na revelação de Jesus Cristo do qual sua palavra é poder, porque, por que ela é, “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração.” Hebreus 4: 12. Não necessita de argumentação terrena, pois temos o Espirito Santo que nos assiste, nos ensina e revela toda a verdade, a filosofia grega não chega à plena revelação do que o Senhor tem para nós, mas aquele que é Deus pode revelar o íntimo do Senhor que tem o desejo em seu coração para cada um de nós, não necessitamos de estudos previamente direcionados e dirigidos a obter um pensamento segundo o que acreditamos e queremos imprimir-nos outros, mas nossa argumentação deve estar embasada em revelação plena daquilo que Cristo tem para nós, como mandamento primordial, a essência da divina providencia aquilo que não morre a pauladas nem é ferida a espada, nem queimada em fogueiras, mas subsiste no interior do homem a fé o crer a (pistis) que na verdade é o alinhamento do pensamento com a divindade a qual faz o homem ter o reto desejo de amar por que é amado e não por que será amado, mas é primeiramente amado o qual restituindo-lhe o poder de ser filho, substituindo sua essência velha e pecadora por uma nova e em amor eterno do qual faz com que ele ame.
Essa essência é obtida somente com a vivencia diária na troca de toque, de pensamentos, de ânsia, de desejo, na plenitude de um relacionamento estreito, que é profícuo não somente de uma via, mas faz com a substancia seja a plena Shekhina de Deus no homem que é uma fagulha da esperança escatológica do amanhã que é a eternidade, esse gozo é a demonstração do que virá e em plenitude se expressará na redenção do home e toda a criação, assim o Senhor nos dá uma amostra grátis de sua paternidade que hoje se externa na vida daquele a quem o Senhor remiu demonstrando o amor incondicional dEle para conosco. Isso não se estuda e nem se aprende fazendo deveres, mas apenas se vive, é como respirar, comer, beber, viver, sua plenitude só é atingida quando deixamos as lacunas serem preenchidas por Ele e não por um paradoxo do qual nos não alcançamos o entendimento, apenas vivemos nessa razão existencial de alimentar o espirito através de este relacionar o respirar (pneuma) e ser cheio, cheio do amor, para expressar esse amor.

Deus te abençoe.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s